Guialazer

Por Rita Pimenta

Numa altura em que o calendário obriga… a falar de amor (acabou de ser comemorado o Dia dos Namorados/Dia de S. Valentim), divulgamos a obra mais recente de uma autora que já passou por estas páginas.


Em "O Meu Coração", Corinna Luyken ("O Livro dos Erros", "O André Semeão Não Tem Um Cavalo") lembra de forma poética e com muita delicadeza que o coração de cada de um nós não está sempre igual. Ora aconchegado e feliz, ora sombrio e triste. Chega até a partir-se. "(…) mas o que se parte tem remendo. E um coração fechado abre-se a qualquer momento".

Um livro luminoso e esperançoso, mesmo na tristeza. Gostamos do recurso ao amarelo (cor quase sempre mal-amada), tal como já acontecera no "Livro dos Erros", que valeu à autora, americana, o Prémio Opera Prima na Feira do Livro Infantil de Bolonha.

"O meu coração é uma janela,/ é um escorrega para eu deslizar. // Tanto pode estar fechado/ como aberto de par em par", diz-nos nas primeiras páginas com texto. Mas antes, logo nas guardas, vê-se alguém a plantar um coração na terra. Há-de ser regado mais adiante com a ajuda de outro alguém. Virá a crescer, como uma flor a que o jardineiro cuidadoso dedica o seu tempo e ternura.

Sobre este livro escreveu-se (Brainpickings): "Um guia de inteligência emocional sob a forma de um poema ilustrado, invulgarmente ternurento, acerca da nossa capacidade de amar." Uma apreciação certeira. "O meu coração é uma sombra/ e uma luz que trago comigo./ Aberto ou fechado…/ sou eu que decido." É isso mesmo.

O Meu Coração
Texto e ilustração Corinna Luyken
Tradução Susana Cardoso Ferreira
Revisão Catarina Magalhães
Edição Fábula
40 págs., 12,99€ 

________________ 

Mais Letras Pequenas... Poucas Letras, Tanto Mar

Veja também... Letra Pequena, um blogue (quase sempre) sobre livros para crianças e jovens.